Porto Alegre, uma cidade hospitaleira

///Porto Alegre, uma cidade hospitaleira

Porto Alegre, uma cidade hospitaleira



Os dados foram revelados em pesquisa Perfil do Turista Nacional em Porto Alegre, realizada pela Secretaria Municipal de Turismo em parceria com as Faculdades Rio-grandenses (Fargs), e que será apresentada ontem, 10 de julho, às 19h, em evento no auditório da instituição de ensino (rua Marechal Floriano, 626, Centro Histórico da Capital), com a presença do secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, o diretor da Fargs, Marcelo Mantelli, a professora coordenadora da pesquisa Kátya Rizzon, e representantes do trade turístico.

O levantamento foi realizado no período de 22 de abril e 5 de maio, seguindo critérios aplicados em pesquisas pela Fipe e FGV. Foram ouvidas 250 pessoas de outras cidades que deixavam a Capital pela área de embarque doméstico do Aeroporto Internacional Salgado Filho e nas plataformas intermunicipal e interestadual da Estação Rodoviária. A pesquisa foi aplicada em todos os dias da semana, incluindo sábados e domingos, em três turnos.

Emissores e perfil – Do total dos turistas ouvidos, 59% tem origem nos estados do Sul do país, e deste total 68% são de outras cidades do Rio Grande do Sul. Em relação ao universo de 250 turistas entrevistados, os gaúchos representaram 40%. Os outros emissores são, na ordem, os estados do Sudeste (31%), do Nordeste (5%) e do Centro-Oeste (5%). Os turistas pesquisados pernoitaram na Capital 4,56 noites, em média. A maior parte dos visitantes, 35,2%, realizou a viagem por motivo de negócios ou trabalho, 34% para visitar amigos e parentes e 12,8% vieram à capital gaúcha a lazer. O restante ficou dividido em viagens para tratamento de saúde, estudos, cursos ou eventos.

De acordo com o levantamento, visitantes com menos de 30 anos e os acima de 61 anos viajam principalmente para visitar amigos e parentes. Para os que se situam na faixa de 31 a 60 anos, negócios e trabalho são os motivos predominantes para a viagem. A maioria (60,4%) dos turistas que vieram a Porto Alegre por essas duas últimas razões desembarcaram na cidade por meio de voos domésticos, no Aeroporto Salgado Filho. De outra lado, 58% dos que chegaram à cidade pela Estação Rodoviária foram motivados por visita a amigos e parentes.

Renda e gastos – Dos visitantes, 25,2% têm menos de 30 anos, 20,4% se situam na faixa de 30 a 40, e 19,5% na de 41 a 50 anos de idade. Em relação à renda, 23,6% percebe entre R$ 512 a R$ 1.533 e 27,2% ganha de R$ 1.534 a R$ 5.112. Na faixa de R$ 5.113 a R$ 10.225, estão 20% dos entrevistados. O valor gasto durante a permanência em Porto Alegre ficou abaixo de R$ 300 para 36,4% dos viajantes, enquanto 26% deixram na cidade até R$ 800, e 14,4%, até R$ 1.300. Gastos até R$ 1.800 foram feitos por 6,4% dos turistas e, acima de R$ 1.800, por 8% do universo pesquisado. As despesas se referem à hospedagem, alimentação, transporte na cidade, passeios e atrativos e compras.

O cruzamento entre o gasto e faixa etária demonstra que o turista na faixa de 31 a 40 anos é o que mais deixa dinheiro na cidade, enquanto os visitantes com idade superior a 61 anos são os que menos fazem despesas. Dos entrevistados, 48,8% hospedou-se em casa de amigos e parentes, enquanto 39,2% utilizou a rede hoteleira. O meio de transporte na cidade mais utilizado foram táxis (31,6%), ônibus e lotações (27,6%) e carro de amigos e parentes (26,8%).

Comparativos- A primeira pesquisa para identificar o perfil do turista nacional em Porto Alegre foi realizada em outubro de 2007, em parceria com a UFRGS. Naquele levantamento também foram ouvidas pessoas de outras cidades que deixavam a Capital pelo Aeroporto Internacional Salgado Filho e pela Estação Rodoviária, num total de 397 turistas, em todos os dias da semana, incluindo sábado e domingo. Em relação ao grau de satisfação com a cidade, os entrevistados também destacaram positivamente gastronomia e hospedagem, atribuindo menor nota à segurança pública, limpeza urbana e sinalização. Pelo levantamento, 38,5% dos entrevistados viajaram a Porto Alegre a negócios e trabalho, e 18,9% para visitar parentes e amigos, enquanto 14,9% em busca de lazer. A média de pernoites na cidade foi de 4,58, próxima à detectada na pesquisa deste ano, de 4,56 noites.

Fonte: PMPA

Autor: Assessoria de Comunicação

Revisão e Edição: de responsabilidade da fonte

Foto: Afonso Abrham

Local: Mercado Público -Centro Histórico (Porto Alegre)

By |2010-07-12T00:00:00-03:00julho 12th, 2010|Sem categoria|Comentários desativados em Porto Alegre, uma cidade hospitaleira

About the Author: