Apenas três profissionais estão credenciados a receber turistas na região

///Apenas três profissionais estão credenciados a receber turistas na região

Apenas três profissionais estão credenciados a receber turistas na região

Vale do Taquari – Nas 36 cidades que compõem a região, apenas três profissionais estão habilitados a acompanhar e orientar turistas que visitam o Vale. A informação é da Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales). A profissão, com credencial emitida pelo Ministério do Turismo, atrai um número pequeno de pessoas – por enquanto. Em Lajeado, a realidade começa a ser revertida.

Iniciado há um mês, o curso técnico Guia de Turismo, promovido pelo Senac, conta com 26 alunos que pretendem atuar na recepção a turistas que vêm à região e que, muitas vezes, não têm com quem se informar sobre as principais atrações. Após a conclusão do curso, que tem 800 horas-aula distribuídas em dois anos, o desafio será enquadrar os novos profissionais em um mercado de trabalho que ainda é pequeno no Vale.

Quase exceção

Antes de trabalhar com turismo, Antônio Veloso (57) atuava no setor administrativo da Prefeitura de Estrela. O servidor deve se aposentar em breve, mas não pretende deixar o trabalho de guia. É um dos únicos profissionais registrados pela Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) em atuação no turismo receptivo do Vale do Taquari. A habilitação foi obtida em 1992, com o primeiro curso de formação para guias de turismo. Desde então dedica-se a acompanhar visitantes de sua cidade, em especial pela rota turística Delícias da Colônia. Somente em 2007 foram 43 excursões. Entre esses turistas está um casal do Rio de Janeiro que se encantou com as belezas do Vale. Atraídos por Gramado e Canela, os dois vieram ao RS e resolveram conhecer, por conta própria, outras regiões do Estado. “Fizemos a rota Delícias da Colônia e eles ficaram tão encantados que pretendem se mudar para cá”, conta o guia, com entusiasmo. “São coisas assim que me deixam contente.”

Exterior

Foi após uma viagem para a Alemanha que Juliana Jasper (35) teve despertado o seu interesse para o turismo. Na época, há 15 anos, ela ficou hospedada na casa de uma família que recebia turistas estrangeiros. Formada em Turismo pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), agora busca habilitação para acompanhar os visitantes que vêm ao Vale. Juliana está entre os 26 alunos que participam do curso Guia de Turismo promovido em Lajeado pelo Senac. Para ela, que trabalha na área, o turismo no Vale do Taquari tem um grande espaço a ser preenchido. “Temos potenciais, mas falta organização em forma de roteiros para poder vendê-los”, acredita.

Mesmo a dois anos de concluir o curso, ela já tem na ponta da língua o que é necessário para ser um bom guia: “Falar outro idioma e ter bastante conhecimento da história e dos locais, para poder passar todas as informações.”

Turistas sem orientação

Excursões passam por Lajeado sem contar com orientação sobre as principais atrações do município, como o Parque Histórico, o Parque do Imigrante e o Jardim Botânico. O secretário de Cultura e Turismo, Carlos Kayser, exemplifica com o caso de um ônibus com visitantes que parou em frente da Casa de Cultura, mas não encontrou nenhum guia à disposição. “Nossa dificuldade maior é em recepcionar esses turistas”, conta. Ele acredita que, com a formação de novos guias, a necessidade poderá ser suprida. Para Kayser, existe mercado capaz de empregar os futuros profissionais em todo o Vale.

Ver os visitantes de Bom Retiro do Sul olhando apenas a barragem eclusa, principal ponto turístico da cidade, não satisfaz o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Airton Petry. Segundo ele, é preciso explorar mais o potencial turístico da região. Para isso, defende um trabalho em parceria com todos os demais municípios. “Estamos fazendo algumas rotas rurais para dar prosseguimento a essa área, mas ainda temos muito a crescer.” Afirma que a formação de novos profissionais é importante, mas que antes disso deveriam ser desenvolvidas mais opções de turismo nos municípios do Vale.

O curso

As aulas do curso do Senac são ministradas por um boliviano que mora há dez anos no Brasil. Juan Carlos Abad Flores Barracan tem experiência com roteiros em vários países da América Latina. Confiante no crescimento do setor na região, ele afirma que há mercado para os futuros guias. E a presença de agências de turismo, transportadoras e de uma associação na região (a Amturvales) gera um quadro interessante. Aos seus alunos, Barracan ensina como deve se comportar um guia de turismo. “Ele deve ser uma pessoa carismática, profissional e ética, com facilidade de expressão”, indica. Deve-se estar preparado para todos os tipos de situação. “É uma questão de ter bom senso e jogo de cintura.”

Para o presidente da Amturvales, Rafael Fontana, a formação de novos guias é fundamental para o desenvolvimento da atividade na região. O Vale do Taquari terá como absorver os futuros profissionais, uma vez que novas rotas estão em fase de formatação. Um exemplo é a Rota de Pedras e Gemas, recém criada, que envolverá Lajeado e Estrela.

By |2008-04-01T00:00:00-03:00abril 1st, 2008|Sem categoria|Comentários desativados em Apenas três profissionais estão credenciados a receber turistas na região

About the Author: